Cultura de estilosante como ferramenta no combate a nematoides

3 minutos para ler

Por Leonardo Dal Poz – Supervisor Técnico Comercial na Analys.

FacebookInstagramLinkedInTwitter

Uma das principais pragas agrícolas da atualidade, os nematoides – vermes de formato cilíndrico, microscópicos, que habitam o solo, próximo à rizosfera, caracterizada como a região de contato entre o solo e as raízes da planta hospedeira – estão presentes nas áreas de lavouras e podem ser controlados com algumas estratégias, como a rotação de culturas com espécies vegetais não hospedeiras e uso de cultivares resistentes, quando houver a disponibilidade.

Os nematoides, segundo estimativas, consomem cerca de 10% da produção agrícola mundial, o que leva a perdas econômicas consideráveis. No Brasil, os parasitas causam prejuízos de aproximadamente R$ 35 bilhões ao ano para o agronegócio, conforme levantamento da Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN).

Os microrganismos afetam o funcionamento das raízes, prejudica a absorção de água e nutrientes, resultando na redução do desenvolvimento da planta, que murcha e pode ocorrer clorose (insuficiência de clorofila) das folhas.

Uma das recomendações de especialistas é realizar uma investigação dos nematoides, determinando gêneros, espécies e raças, para que seja possível traçar uma estratégia de manejo integrado para minimizar os danos causados e possibilitar a produtividade das culturas podendo conviver com estes parasitas.

Para combater a praga agricultores das culturas de soja, milho, algodão, braquiária e estilosante vêm utilizando algumas estratégias.

Dentre os manejos integrados que auxiliam no combate à praga estão cultivar resistente, correção do solo, equilíbrio nutricional nas plantas, adubação balanceada, uso de controle biológico, rotação de culturas e adubação verde com plantio de plantas antagônicas aos nematoides, a exemplo da brachiaria, crotalaria e estilosantes.

O manejo integrado consiste em utilizar varias estratégias de manejo que em conjunto agem de forma sinérgica a planta, prejudicando o desenvolvimento e o dano causado pelos nematoides, portanto, quanto mais manejos positivos a planta e negativos aos nematoides, maior incremento de produtividade.

Em solos arenosos, a severidade dos nematoides é maior porque a condição solo pré-dispõe a planta pelas características de menor retenção de água, baixo teor de matéria orgânica do solo, menor oferta de nutrientes e maior temperatura do solo.

Por estas razões o uso da adubação verde utilizando estilosantes é uma ótima estratégia de manejo integrado, o estilosante é uma planta que tem o sistema radicular muito agressivo, em poucos dias de emergência atinge grandes profundidades do solo, o que possibilita a ciclagem de nutrientes e mantém a planta suprida de água, tornando possível o seu desenvolvimento em condições de pouca oferta de umidade, mantendo a parte aérea verde e desenvolvendo massa.

Outra característica da planta, é que possui simbiose com bactérias que possibilitam a fixação biológica de nitrogênio, adubando o sistema produtivo posterior após mineralização, o que melhora o desenvolvimento da cultura e dificulta a disseminação dos nematoides.

FacebookInstagramLinkedInTwitter
Você também pode gostar

Deixe um comentário