Manual prático para uma gestão eficiente de propriedade rural

12 minutos para ler

Por ser muito competitivo, o setor agrícola exige mais do que a entrega de bons produtos e serviços. Hoje, uma gestão eficiente é fundamental para o sucesso de todos os tipos de negócio, e com as propriedades rurais não poderia ser diferente.

O produtor deve ter em mente que, apesar de não estar localizado nos grandes centros comerciais, o seu negócio é uma empresa como qualquer outra. Por isso, para se destacar entre as concorrentes, ela precisa ser bem administrada, com foco na lucratividade.

Preparamos este guia com as principais atividades que envolvem uma boa gestão de propriedade rural e algumas dicas de como executá-las. Aproveite!

O que é uma gestão de propriedade rural eficiente?

Quando falamos de gestão de modo geral, temos alguns pontos que devem ser seguidos para conseguir a tão desejada eficiência. Veja quais são:

  • avaliação do comportamento do consumidor;
  • conhecimento do negócio;
  • monitoramento da marca;
  • preocupação com o relacionamento com clientes;
  • participação ativa;
  • automatização de processos; e
  • motivação de colaboradores.

No meio rural, deve-se fazer tudo isso, mas sem deixar de considerar o contexto em que se está inserido. Além do funcionamento da propriedade, um bom gestor precisa estar a par de tudo o que acontece no mercado, tanto para entender o comportamento do consumidor — como já foi citado — quanto para adquirir com os melhores preços os insumos para a produção. Ou seja, a gestão eficiente não acontece somente dentro da porteira, mas antes e depois dela.

Ao administrar esse tipo de empresa, não se deve esquecer de que o negócio rural é diretamente afetado por alguns fatores externos, como o câmbio, a economia global, as leis, os impostos e, até mesmo, a situação política.

Por fim, não podemos deixar de revisitar o significado de eficiência. Para ser considerada eficiente, uma gestão precisa ter os melhores rendimentos com o mínimo de esforço e recursos. Isso quer dizer que nunca se pode deixar de controlar processos, custos e mão de obra, sempre visando a lucratividade.

A importância do planejamento em todas as etapas de produção

Boa gestão e planejamento estratégico são duas coisas que não podem estar separadas uma da outra. Traçar um plano de metas e ações é a base de um trabalho organizado e com foco em resultados. Quando sabemos por que e para que trabalhamos, conseguimos ser muito mais motivados e eficientes.

O planejamento estratégico é o primeiro passo para a profissionalização da gestão, pois ajuda a fazer com que o negócio rural seja visto como uma empresa e entendido como uma atividade que precisa gerar lucro.

Antes de planejar, é importante conhecer a fundo os processos. Deve-se definir todas as atividades que deverão ser realizadas e os ciclos da produção, bem como compreender a atual situação de cada um deles. Com isso, o produtor consegue identificar suas maiores fragilidades e potencialidades — é a partir desse conhecimento que surge um plano.

O que considerar na hora de planejar

Um plano estratégico deve trazer objetivos claros e metas a serem cumpridas para que se atinja as expectativas. Para chegar a essas definições, é preciso prever as demandas do mercado, analisar a concorrência e definir indicadores de desempenho — que deverão ser utilizados durante todo o percurso como forma de avaliar a eficácia do que está sendo feito.

Como ter uma gestão financeira eficaz

O controle financeiro para produtores rurais é um grande aliado do planejamento estratégico no caminho para o sucesso. Ele proporciona uma visão geral do negócio e dá ao produtor a capacidade de tomar decisões rápidas e assertivas.

Neste mercado, os recursos só entram depois que a safra é vendida, por isso é muito comum recorrer ao crédito rural. Uma boa gestão financeira é fundamental para evitar o endividamento do produtor e garantir que, além de pagar o investimento, a produção vai dar lucro.

Uma administração de recursos bem feita traz benefícios concretos à empresa, como o conhecimento real dos resultados, as possibilidades de economia e o aumento de lucro. Veja quais são os principais pilares de uma gestão financeira eficaz:

Controle de custos

Controlar os custos de uma propriedade rural é uma tarefa complexa, porque eles são originados em setores diversos — folha de pagamento, compra de insumos, impostos, aquisição e manutenção de equipamentos, comercialização, entre outros.

Para não se perder em meio a tantos dados, é fundamental ter organização. Além disso, é muito importante entender cada um desses custos e, com frequência, analisar sua real necessidade a fim de que seja possível reduzi-los e maximizar os resultados.

Os gastos precisam ser previstos ainda antes do plantio, considerando os dados da safra anterior e as tendências de mercado. Com um plano financeiro pronto, o próximo passo é controlar tudo minuciosamente.

Uma boa gestão de custos ajuda o produtor a prever inclusive futuras restrições e dificuldades financeiras. Com isso, ele consegue se preparar para as épocas mais difíceis e, assim, evitar grandes transtornos.

Gestão tributária

Não é novidade que a questão tributária no Brasil é complexa. Cada vez mais as empresas estão sendo o foco da fiscalização. Desse modo, os tributos representam grande parte dos custos de um negócio, por isso é muito importante que estejam sempre em dia — caso contrário, as multas podem pesar bastante no caixa.

O planejamento tributário é um conjunto de providências legais que têm como objetivo diminuir o pagamento de impostos. Tudo isso é feito por meio da estruturação do negócio, que evita o pagamento de tributos indevidos, deixando a propriedade regularizada.

Além disso, o planejamento facilita o controle do pagamento, evitando a perda de prazos. Se você não se sentir seguro para colocar essa atividade em prática sozinho, pode contar com o auxílio de uma consultoria contábil e fiscal.

Fluxo de caixa

Quando falamos de gestão financeira de propriedades rurais, não podemos deixar de destacar a importância do fluxo de caixa. Ele é um grande aliado do produtor que deseja se sentir seguro em relação às tomadas de decisão.

Powered by Rock Convert

Controlar o fluxo de caixa é o mesmo que monitorar todas as entradas e saídas de dinheiro do negócio. Esse registro evita que os custos e despesas sejam maiores que a receita e ajuda na análise da saúde financeira da atividade rural.

Com isso, o produtor consegue simular algumas particularidades e projetar cenários futuros para tomar decisões antecipadas de caráter preventivo. Esses cenários podem ser negativos, positivos ou realistas e, a depender da previsão, diferentes providências devem ser tomadas.

A tomada de decisão embasada em dados

A tomada de decisões pode ser um divisor de águas num negócio — ela pode trazer consequências boas ou ruins, a depender do que seja definido. Por isso, a gestão baseada em dados é a mais indicada para propriedades rurais, pois ela garante a decisão mais acertada.

Não é errado considerar sentimentos e intuição quando se precisa resolver algo, mas esse caminho pode deixar o produtor inseguro e trazer riscos ao negócio. Ao basear definições em dados, as chances de acertar são maiores, e o produtor rural tem certeza de que está no melhor caminho.

Antes da revolução tecnológica, coletar esses dados demandava altos investimentos e longos períodos de espera por resultados de pesquisas. Hoje, essa coleta é muito mais rápida e barata. Com um software de gestão, você consegue agrupar importantes informações sobre finanças, safras anteriores, mercado, fornecedores, clientes, entre outros, em um só lugar — e consultá-las sempre que necessário.

Como tomar uma decisão com base em dados

Depois de ter disponíveis os dados que serão analisados, siga os seguintes passos:

  • identifique o problema a ser solucionado;
  • defina os indicadores que serão utilizados na sua análise;
  • agrupe dados para encontrar padrões;
  • faça uma análise crítica e imparcial dos dados; e
  • decida com base no que foi visto.

A importância de uma logística otimizada

Para conquistar eficiência na logística, o produtor precisa concentrar energias na dinamização de processos e redução de perdas. Com isso, os custos diminuem e a performance do negócio melhora.

Para otimizar a logística, é necessário planejar e controlar o fluxo percorrido pela produção, na colheita, armazenagem e até a entrega dos contratos. Os investimentos nessas etapas são tão importantes quanto os que são feitos na fase de produção. Afinal, não adianta ter produtos de qualidade e perdê-los por causa da má gestão do armazenamento ou da distribuição.

A função da logística é justamente ligar e manter unidos os elementos que compõem o caminho percorrido pelo produto, da fazenda até o cliente. Veja quais são os principais pontos a serem considerados para otimizar a logística:

  • localização da propriedade: isso influencia diretamente no recebimento e distribuição de produto;
  • armazenagem: é nos armazéns que se perde grande parte da produção, por isso eles precisam ser bem planejados e monitorados;
  • transporte: para escolher o meio mais adequado, deve-se considerar custos, velocidade e confiabilidade.

A necessidade de aderir às novas tecnologias

A tecnologia já é uma aliada da produção rural há muito tempo, com a mecanização do plantio, irrigação e até a modificação genética de sementes. Apesar de o setor ainda ser um pouco conservador, o uso de tecnologias é uma forte tendência que traz consigo grandes vantagens.

Com as novas ferramentas tecnológicas, o produtor consegue realizar seu trabalho de maneira mais fácil e assertiva, além de reduzir gastos com mão de obra e matéria-prima. E não são só as grandes propriedades que têm investido nisso — pequenas propriedades estão cada vez mais digitalizadas e têm aumentado sua produtividade até mais do que em negócios de grande porte.

Os avanços estão presentes tanto no cultivo quanto na gestão de propriedades rurais. Confira as principais ferramentas:

Robôs e drones

Muita gente pode associar robôs a filmes de ficção científica, mas eles já são uma realidade nas lavouras, responsáveis pela execução de tarefas onerosas e repetitivas. Também estão disponíveis no mercado equipamentos que identificam pragas e doenças e são capazes até de coletar amostras de plantas e do solo para análise em tempo real.

Já os drones, cada vez mais acessíveis, são constantemente usados para gerar imagens aéreas da área de produção e identificar falhas no plantio, locais com infestações e problemas na irrigação. Além de monitorar a fazenda, ele também já é usado para fazer pulverização em locais exatos, reduzindo os gastos com fitossanitários.

Big data

O avanço da tecnologia já permite que os produtores rurais coletem e armazenem dados sobre diversos aspectos da sua operação, colhidos por sensores espalhados pelo campo. Essas informações permitem o melhor gerenciamento das atividades — quanto mais se sabe, mais acertadas são as decisões tomadas.

Existe um grande número de ferramentas de coleta e medição de dados disponíveis. Com elas, é possível analisar o que está sendo feito e planejar ações para melhorar a produtividade, o que traz como consequência o aumento nos ganhos ao final da safra.

Software de gestão

Já deu para ver que a tecnologia anda lado a lado com o cultivo, não é? No entanto, ela não é tão explorada quanto deveria no que se refere à administração de propriedades agrícolas. Muitos produtores ainda usam planilhas e até mesmo anotações em cadernos para gerir suas propriedades, quando um software de gestão consegue centralizar todo o trabalho e tornar o processo administrativo muito mais fluido.

O mais indicado para o setor agrícola é investir em uma plataforma desenvolvida especialmente para esse tipo de negócio. Elas conseguem reunir informações sobre a propriedade, plantio e estoque que podem ser de grande serventia para insights do produtor.

Por meio do software, é possível fazer toda a gestão econômica e fiscal da empresa. Isso representa a possibilidade de descartar a necessidade de consultorias contábeis, além de ajudar na hora de cortar custos e gerar lucratividade.

Os benefícios da SCADIAgro

Com mais de 30 anos de experiência, a SCADIAgro oferece um software completo de gestão para o produtor rural, que o acompanha desde o planejamento até a colheita. Além da parte administrativa, o sistema também integra o controle financeiro, os resultados das safras e as obrigações fiscais.

A adoção de uma ferramenta como essa dá ao produtor informações corretas e centralizadas, que podem ser acessadas de qualquer lugar. Assim, as tomadas de decisões são mais rápidas e acertadas; e a gestão, mais sustentável e eficiente.

Se você quer gerir a sua propriedade rural da melhor forma e acha que um software pode te ajudar nessa jornada, entre em contato conosco e conheça a fundo as nossas funcionalidades!

Você também pode gostar

Deixe um comentário