Veja 3 dicas de como ter mais rentabilidade no campo!

4 minutos para ler

A agricultura tem realmente se destacado na balança comercial do Brasil. Para o ano de 2020, por exemplo, espera-se uma colheita recorde de 249 milhões de toneladas, ou seja, um crescimento de 3,1% em relação a 2019. Essa rentabilidade no campo, contudo, não depende somente da safra, mas de diversos outros fatores — como a gestão da lavoura e os cuidados com armazenagem, planejamento, tecnologia.

Mesmo com índices tão altos, ainda há regiões que pecam pela ineficiência, o que prejudica o resultado agrícola. É necessário, portanto, aprender e investir para que essa situação se transforme, garantindo uma agricultura com mais valor agregado e produtividade.

Pensando nisso, trouxemos neste post 3 dicas práticas para melhorar os seus ganhos, por meio de um gerenciamento completo de lavoura. Continue lendo e confira!

1. Invista em um sistema de gestão do campo

A agricultura nacional ainda sofre com alguns problemas, como a deficiência na produção e no processo de classificação de sementes e grãos, a ausência de automação, a baixa precisão para a coleta de informações e a falha de conectividade no campo. Sendo assim, o agricultor precisa se profissionalizar na administração de informações e de tecnologia no campo para conseguir aproveitar o que a revolução digital pode oferecer.

Existem hoje sistemas de gestão que facilitam, e muito, esse tipo de controle. Para aproveitá-los ao máximo, porém, é preciso uma gestão que saiba produzir e armazenar dados corretamente, para cruzá-los de forma a gerar informações precisas, em tempo real. Isso é o que servirá de base para tomadas de decisão que aumentem a rentabilidade das lavouras em todos os mercados.

Com um bom software, os produtores rurais podem:

  • controlar o uso de equipamentos e insumos — inclusive reduzindo o gasto de combustível;
  • economizar nas aplicações de fertilizantes;
  • ter maior qualidade no controle de pragas, utilizando defensivos de forma sustentável;
  • aumentar a produtividade;
  • ter maior controle sobre os aspectos legais e fiscais da propriedade;
  • exercer mais controle produtivo, econômico e comercial da atividade.

Vale ressaltar, todavia, que se o sistema de gestão não for adequado às suas necessidades, os dados obtidos não servirão de nada, pois você não terá uma visão holística do campo, tampouco do seu negócio.

2. Faça um planejamento

O planejamento da safra é uma atividade primordial para que o agricultor não tenha surpresas negativas. Então, inclua no seu orçamento a pesquisa prévia dos fluxos financeiros relativos à safra, como:

  • receitas;
  • despesas;
  • investimentos;
  • recursos (físicos e humanos);
  • benfeitorias e máquinas;
  • solo;
  • logística etc.

Detalhe também as diferentes culturas agrícolas, colocando cada uma delas na sua estimativa. Como todas têm particularidades ambientais e socioeconômicas, os seus custos vão variar — alguns insumos usados no algodão são diferentes daqueles da soja, por exemplo.

3. Monitore a colheita da lavoura

Todo produtor rural deve fazer um monitoramento para saber o melhor momento para a colheita. Isso envolve entender bem o funcionamento das colheitadeiras, em termos de velocidade, altura de corte etc., além de treinar os funcionários para que façam bom uso delas.

Também é indicado acompanhar os processos de armazenagem e transporte, para reduzir possíveis danos e desperdícios.

Enfim, como você pode conferir, há inúmeras medidas para otimizar os recursos disponíveis e ter maior rentabilidade no campo com a sua produção agrícola. Em suma, tanto um bom sistema de gestão quanto o planejamento e o monitoramento adequados farão a sua propriedade rural reduzir perdas, ter mais agilidade e aumentar ganhos. Pense nisso!

E agora que você já sabe como rentabilizar a sua lavoura, o que acha de compartilhar este artigo nas suas redes sociais, para que mais pessoas possam se beneficiar?

Você também pode gostar

Deixe um comentário